Empresário alagoano Mário de Melo acredita no potencial de Mar Vermelho para instalar a Vinícola Serra da Mão

Compartihe

Claudio Bulgarelli

A pessoa por trás da vinícola Serra da Mão é o empresário Mário de Mello, bacharel em direito e apaixonado pela gastronomia, onde se realizou profissionalmente, já que está no ramo a mais de 20 anos, tendo passado inclusive uma temporada pelos estrelado restaurantes DOM e Dalva E Dito do chef mundialmente reconhecido Alex Atala. Mas Mário, além de chef de cozinha é um ousado empreendedor, sendo proprietário da Sangennaro Pizza, em Arapiraca, da Cantina Sangennaro, em Manaus, do Dengo Bistrô restaurante sazonal e da Pousada A Casa do Francês, ambos na praia do Francês e de um novo empreendimento, Timmo Pizza, que será inaugurado também na praia do Francês.

Mas seu maior projeto está nascendo em Mar Vermelho. Do tradicional hábito familiar de consumir vinhos com toda a família, se tornou cada vez mais um admirador e apaixonado pela bebida e seus processos, um verdadeiro entusiasta do vinho. Ainda por volta de 2015 já pensava no projeto de viticultura, porém com recursos limitados o sonho acabou se estendendo até meados de 2019 onde levou a ideia para seu grupo familiar, seus sócios. A ideia foi recebida com bastante desconfiança e cercado de incertezas, mas todos toparam conhecer as terras que Mário já havia previamente escolhido para a possível implantação da vinícola.

No entanto acabou sendo voto vencido, não pela ideia da vinícola, mas sim pelo local escolhido. Segundo seus irmãos, Mar Vermelho era muito virgem, pequena, sem estrutura ou recursos para suportar uma vinícola e tudo que engloba o enoturismo. O plano seguiu e a cidade escolhida na época foi Garanhus onde hoje, não só o próprio Mário, como seus irmãos que são seus sócios tocam o projeto da Mello Vinícola, segunda vinícola de Garanhus e a quarta no Estado de Pernambuco.

Nesse meio tempo Mário se viu bastante empolgado e um tanto quanto frustrado por não ter conseguido que o projeto de Mar Vermelho emplacasse. Mesmo assim, ele, um apaixonado declarado pela cidade, continuou   procurando um pedaço de terra pra chamar de seu. Dentro do seu dia a dia corrido e cheio de obrigações empresariais se aprofundou cada vez mais no tema viticultura. Mário não tirou da cabeça a possibilidade da vinícola em Mar Vermelho, o clima favorável, a possibilidade de desbravar o enoturismo daquela região o motivava cada vez mais até que no final do ano passado conseguiu consolidar a compra de um pequeno sítio de um potencial gigantesco.

Para ele o tamanho era perfeito, já que pretende fazer vinhos em pouquíssimas quantidades e em paralelo ao trabalho nos parreirais, vinificando suas uvas. Assim ele e sua esposa, a também chef de cozinha Karolyn Oberg, de família descendentes de refugiados vindos da Itália e produtores de vinho no Sul do Brasil, pretendem oferecer uma experiência enoturística completa, recebendo grupos pequenos tanto para visita aos vinhedos, como para conhecer Mar Vermelho.

A ideia é fazer o visitante conhecer o processo de produção dos vinhos, visitar a cave das barricas, almoçar ou jantar no restaurante da vinícola, que contará com um menu especial assinado pelo próprio chef e dono da vinícola. Além disso o visitante poderá se hospedar em um dos chalés que estarão instalados em uma outra extremidade da propriedade, proporcionando uma vista inesquecível das serras. O lago para piqueniques, passeios de charrete e a cavalo serão um capítulo à parte na visita a vinícola. É um projeto que demanda tempo e bastante dedicação

“Já estamos desde já trabalhando duro para que tudo esteja pronto o quanto antes e assim o turista alagoano e os que visitam Alagoas possam ter mais essa opção. Não tenho dúvidas que em pouco tempo Mar Vermelho será um destino muito badalado e sediará uma rota vinícola. Acredito muito que esse trabalho motivará e trará inspiração para outros empreendedores olharem para Mar Vermelho´´, finaliza Mário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.