Candidato a prefeito de Maceió, Davi Davino, quer Governo do Estado com projetos de revitalização das lagoas.

Compartihe

Milhares de pessoas que sobrevivem da pesca passam, a cada ano, o drama da escassez do pescado e do recobrimento dos bancos de mariscos, comprometendo cada vez mais a possibilidade de geração de trabalho e renda. Foi com esta preocupação que o deputado Davi Davino Filho (PP), candidato ao cargo de prefeito de Maceió, reivindicou ao governo do Estado a adoção de providências para desenvolver um projeto de revitalização do complexo estuarino Mundaú-Manguaba, através da Secretaria de Estado de Recursos Hídricos e Meio Ambiente. A indicação foi aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa.

De acordo com Davi Filho, as lagoas constituem um dos mais importantes complexos lacustres do país e um dos mais belos cartões postais do Nordeste, guardando vastos manguezais em seu entorno, além de constituir um imensurável banco de proteínas disponível, sobretudo para a população mais pobre. “É com tristeza que acompanhamos o agravo da deterioração ambiental, social e econômica de milhares de alagoanos, em razão direta dos impactos negativos sobre as lagoas”, destacou.

O Serviço Geológico do Brasil, em relatório sobre os danos causados pela mineração de sal-gema, identificou na região do Mutange, através de estudos feitos na borda da lagoa Mundaú, deformações no local, compatíveis com a instabilidade nas minas e com significativas alterações do fundo da lagoa. “Além do assoreamento e da poluição, temos ainda os problemas causados pela desastrosa exploração mineral, que formam mais elementos de agressão contínua a esse importante ecossistema”, disse.