Embate político em Maceió já começou

Compartihe

Nas próximas eleições, adiadas por causa da pandemia para o dia 11 de novembro e havendo segundo turno 29 do mesmo mês teremos um embate aguerrido, com candidaturas para todos os gostos na capital alagoana. Irão se apresentar, após as convenções os seguintes nomes: Basile Christopoulos (PSOL), Cícero Almeida (PSDC), Cícero Filho (PCdoB), Josan Leite (PSL), Ricardo Barbosa (PT), Ricardo Santa Ritta (Avante). Corintho Campel0(PMN) e Lenilda Luna(UP).

Mas talvez apenas quatro candidaturas competirão de verdade pelo cargo de prefeito de Maceió. Alfredo Gaspar (MDB), que é certamente o nome mais forte, pois vem com apoio do governador Renan Filho, do senador Renan Calheiros e do prefeito Rui Palmeira. JHC pelo PSB, Ronaldo Lessa do PDT e Davi Davino pelo PP, com apoio do deputado federal Arthur Lira e do ex-senador Benedito Lira.

Já se observa que por conta do momento que se vive, pandemia do coronavírus, crise econômica, falta de dinheiro e um descrédito quase que total da classe política, que certamente perdurará até as eleições, inúmeras restrições impostas para evitar contágios. Por conta desses fatos não acontecerá à efervescência natural das eleições anteriores. Outro detalhe a se esperar é a maciça abstenção geral de eleitores que não pretendem se arriscar por causa do coronavírus. Fato é que a Justiça Eleitoral teme pela falta de mesários e pessoal de apoio pelos mesmos motivos. 

O mais bem cotado, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, foi promotor público por quase 25 anos, ou seja, metade de sua vida. Na condição de representante do MP de Alagoas, participou também das investigações de casos de grande repercussão no estado, compôs o Conselho Estadual de Segurança Pública (Conseg) e coordenou o Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do MP. Em 2015, assumiu a tarefa de comandar a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas e implantou um duro modelo repressivo que fez cair os números oficiais de mortes decorrentes de crimes violentos em todo o Estado. Por seu trabalho pela paz e contra a violência, Alfredo Mendonça foi eleito presidente do Grupo Nacional de Combate ao Crime Organizado (Gncoc). Desde o início desse ano, abriu mão de sua carreira no MP e aceitou o desafio de ser pré-candidato a prefeito de Maceió.