Empresário Márcio Coelho afirma que perda do turismo alagoano será grande

Compartihe
Empresário Márcio Coelho (arquivo pessoal)

Com mais de setenta anos de atividades, os Hotéis Ritz do Brasil iniciaram suas operações em Juiz de Fora, Minas Gerais, seguindo os padrões de qualidade implantados por Cesar Ritz, conhecido como o “pai da hotelaria moderna”, com o qual seu fundador Cesar Sampaio Coelho teve o privilégio de trabalhar no Ritz Lisboa, em Portugal. Hoje com operações também no Rio de Janeiro e Maceió, a rede conta com 10 unidades hoteleiras em três estados brasileiros, administrando mais de 3.500 leitos.

A rede de hotéis chegou à capital alagoana em 1990, quando o empresário César Bruno Coelho enviou para Maceió o seu filho Márcio Coelho. A primeira unidade da rede foi o Ritz Praia Hotel Maceió. Dois anos depois, outro representante da família fincaria raízes no Paraíso das Águas. O caçula Marco Antônio Sampaio Coelho ficou responsável por gerenciar o Ritz Plazamar Hotel, na praia de Ponta Verde. Já em 2001, a família voltaria a investir em Maceió, desta vez com o Ritz Lagoa da Anta, hotel cinco estrelas na praia de Cruz das Almas. A capital ainda ganhou mais duas unidades da rede Ritz, o Coralli Hotel Boutique, em Ponta Verde, e o Ritz Suítes, na praia de Cruz das Almas.

Márcio Coelho, que já foi presidente da ABIH-AL, atuando ainda no Maceió Convention, se tornou um dos mais influentes hoteleiros do Estado e um legítimo defensor do turismo alagoano. Nessa entrevista exclusiva para a o portal Alagoas em Pauta o empresário fala da pandemia do coronavírus e suas consequências para um setor, que segundo ele, deixará de arrecadar até 150 milhões de reais.

Diante da pandemia do coronavírus quais as alternativas para o setor de turismo?

Márcio Coelho – As alternativas estão cada vez mais reduzidas, pois com os cancelamentos dos voos e a proibição dos ônibus intermunicipais só nos resta tomar todas as medidas administrativas que reduzam as despesas e, se possível, fazermos manutenções que demandem pouco investimento.

O setor de turismo e hotelaria em Alagoas serão realmente os mais impactados pela pandemia?

Márcio Coelho – Com toda a certeza o setor do turismo será, de longe, um dos mais prejudicados, pois sua recuperação estará proporcionalmente ligada à retomada da confiança do público consumidor e, para isto, uma radical mudança nas regras de segurança sanitária terá que ser adotada por toda cadeia produtiva correlacionada ao nosso setor.

Por quanto tempo o setor pode suportar de portas fechadas?

Márcio Coelho – Isto depende muito da “saúde financeira” de cada empresa, pois apesar da ajuda governamental para se manter os salários dos funcionários, as medidas só preveem suporte nos primeiros meses, assim sendo, acho que 70% do setor suporta no máximo 60 dias de paralisação.

Para o senhor haverá demissões no setor?

Márcio Coelho – Com certeza absoluta algumas demissões serão necessárias para se readequar o custo da operação para uma nova realidade pós-pandemia, quando haverá um fluxo bastante reduzido, além do empobrecimento natural de toda a sociedade que demandará serviços com melhor custo-benefício.

Qual o prejuízo aproximado do setor hoteleiro se os hotéis permanecerem fechados por mais tempo?

Márcio Coelho – Numa conta básica o setor hoteleiro deixará de arrecadar algo em torno de 150 milhões de reais apenas nos hotéis em Alagoas.

O senhor acredita que no segundo semestre o turismo possa começar a ser reaquecido?

Márcio Coelho – Dependeremos muito de nosso principal polo emissor, no caso, o Estado de São Paulo. Segundo perspectivas da retomada da abertura do comércio e a evolução das reaberturas das linhas aéreas, a nossa previsão é de que apenas no próximo ano teremos novamente um panorama mais favorável a nossa atividade, visto que todas as férias escolares e profissionais foram antecipadas, além dos feriados, para este período de confinamento.

Os hotéis Ritz são responsáveis por quantas unidades em Maceió?

Márcio Coelho – Em Maceió somos cinco hotéis num total de 1800 leitos aproximadamente.

Qual a mensagem que o senhor passaria para os turistas de forma geral?

Márcio Coelho – Não cancelem seus sonhos de viagens apenas os adie, pois enquanto passamos por este recesso tão necessário, nossa natureza está se regenerando para que vocês tenham momentos ainda mais incríveis em nossa Alagoas.

Sua iniciativa de colocar à disposição 20% dos apartamentos da rede para médicos que estão na linha de frente no combate ao covid-19 foi baseada em quais motivações?

Márcio Coelho – Como mantivemos nossas unidades completamente adequadas às recomendações da Anvisa e da OMS, sentimo-nos no dever de colaborar com aqueles que arriscam suas próprias vidas para nos salvar, oferecendo a estes verdadeiros heróis 20% de nossa disponibilidade hoteleira, sem nenhum custo, afim de que por sua vez eles possam oferecer mais segurança as suas próprias famílias.